Você está aqui : Home > Cruzeiros > Ilha dos Estados
ILHA DOS ESTADOS
O Faro do Fim do Mundo
5 dias - 4 noites

A Reservaçao da Ilha dos Estados possui além da Ilha do mesmo nome um número de ilhas circundântes e o Arquipélago do Ano Novo e cobrem aproximadamente 8.300 Hectáreas. A Ilha dos Estados é a que maior superficie tem e localiza-se no extremo Este dos Andes Austráis. Seu clima é úmido, com precipitaçoes anuáis próximas aos 2.000mm. Os bosques estao sempre verdes e os principáis exemplares sao guindos (Nothofagus betuloides) e canelos (Drymis Winterii). Aonde o bosque deixa entrar o sol, abundam os arbustos espinosos como o Calafate, muito ramificado e que chegam a medir 3 metros de altura. Um denso sotobosque de "helechos", líquenes e musgos lhe dao uma apariência exuberante que será quasi incrível para o explorador deste território. Turbáis e praderas costeiras surpreenderao também com sua presença.

A línea costeira é irregular com fiordos, caletas e bahias e oferece o hábitat perfeito para a vida silvestre, com uma importante comunidade de invertebrados que se convertem no alimento para uma âmpla variedade de aves e outras espécies.

O 25 de dezembro de 1615, a bordo do navio Concordia, o Capitao holandês Guillermo Cornelio Schouten e o chefe Mercantil Jacobo Le Maire documentavam o descobrimento do território que chamaria "País dos Senhores dos Estados". Eles desconheciam o caráter insular dos territórios descobertos. Em 1643, o holandês Hedrick Brouwed circunnavegava a ilha por primeira vez, verificando que nao se tratava de continente e ficando definitivamente batizada como "Ilha dos Estados". Localizada ao sul da República Argentina, frente à Tierra del Fuego e separada do continente pelo estreito de Le Maire, a ilha do fim do mundo, como a chamaria posteriormente Julio Verne, possui uma superficie de 534 kilômetros cuadrados e uma extensao de 65 kilômetros do este ao oeste e entre 15 kilômetros a 500 metros de norte a sul.

Esta apariçao insular, brote da Cordilhera dlos Andes, encontra-se a 240 kilômetros de Ushuaia, a 200 kilômetros de Rio Grande e 400 kilômetros das Ilhas Malvinas. Sobre seus basamentos, grande montículo de pedra irregular que possui um perfil agressivo, se levantam cerros irregulares e abruptos, com picos agudos. Sobre a fauna da costa, muito se conhece (pingüins, lobos de um e dois pêlos (lobos de mar), nutrias marinhas, gaivotas, cormoranes, petreles, etc.). Veremos o que tem em seu interior. Provavelmente poderao encontrar algumas cabras (introduzidas por Piedra Buena em 1872), talvez algúm cervo vermelho (introduzidos em 1973), uma exuberante avifauna e nas lagoas interiores a nutria de agua doce de mais de um metro de longitude -o Huillín- que corre risco de extinçao; ol pez Galaxia o Puyén, pequeno e rápido, que outrora existira em toda a Terra del Fuego, (na Ilha Grande foi substituido pelos salmônidos ficando seu reino reduzido a esta ilha).

Ingleses, holandeses e também espanhóis em busca das Indias, exploraram suas costas. Foi Luis Piedra Buena a primeira presença da República Argentina nestas terras. A Ilha pareceria ter sido para elel um dos mais grandes amores de sua existência. Foi em 1862 quando o famoso marinho argentino levantou em um de seus portos (Cook) uma casinha com camas para refugio, imprescindível para que pudessem sobreviver aqueles que precisam. Piedra Buena pintou no Cabo de Hornos: "Na Ilha dos Estados se socorre aos náufragos". Un promédio de oito naufragios anuáis se produziam na ilha por esta época. Infinidade de atos de coragem em salvatagens de náufragos sao lembrados no "anecdotario naval argentino", sobre Luis Piedra Buena. Seu trabalho foi reconhecido internacionalmente.

 
Ushuaia- Estreito Le Maire
Partiremos desde o Porto da Cidade de Ushuaia, tomando rumo à boca oriental do Canal Beagle. Pela noite cruzaremos o Estreito Le Maire.
Bahia Franklin, Bahia Crossley e Bahia San Antonio.
Pela manha chegaremos à Bahia Franklin, seguindo nosso rumo à Bahia Crossley, aonde faremos um desembarco para conhecer a praia, observar o sítio arqueológico, contemplar a paisagem de cerros redondeados separados por extensos vales e observar uma das aves mais interessantes deste lugar: o "carancho austral". Retornamos ao M/V “Ushuaia” para dirigirnos ao outro extremo da ilha, ao Porto San Juan de Salvamento.
Porto San Juan de Salvamento, Porto Cook, Porto Vancouver.
Acordaremos com a imagem do famoso faro do fim do Mundo, que inspirara a Julio Verne. Desembarcaremos no porto e após uma caminhata de 25 minutos chegaremos ao faro cercados em uma paisagem incrível. Ao regresso ao barco visitaremos desde os pequenos barcos uma colônia de pingüin "penacho amarelo" e de lobos marinhos de dois pêlos. Após uma breve navegaçao, chegaremos a Porto Cook. Desembarcaremos na praia aonde observaremos os restos de pilotes que pertemceram ao antigo presídio, que funcionara entre 1900 e 1902. Desde aquí cruzaremos a Porto Vancouver, atravessando uma antiga praia elevada que separa as costas norte e sul por um tramo de apenas uns 500 metros, chegando à costa sul da ilha.
Ilhas Ano Novo, Porto Hoppner, Estreito Le Maire
Pela manha realizaremos uma excursao em barco pela costa da Ilha Observatório, aonde poderao se observar várias espécies de aves entre as que se destacam as colônias de cormorán imperial, petrel gigante do sul e pingüins de Magallanes e mamíferos marinhos como os lobos de um pêlo sudamericano. Desde alí partiremos até Porto Hoppner e desembarcaremos em barcos até o interior do fiordo, para vislumbrar uma paisagem de inigualável beleza, com picos agudos e crestas afiladas cobertas por um tupido bosque que chega até a costa.
Canal Beagle, Ushuaia
Durante a noite cruzaremos o Estreito Le Maire, navegaremos pela manha o Canal Beagle, até nosso destino final: a cidade de Ushuaia.

M/V Ushuaia e suas características
O nome do buque é USHUAIA, de bandeira Panamá, é um buque de passageiros com deslocamento DWL 2963 toneladas. É um barco oceanográfico, construído pelo governo dos USA baixo os requerimentos da N0AA (Agencia Norteamericana de Investigaçao Oceanográfica e Atmosférica), para seu departamento de oceanografia, em Ohio. Durante 2002 foi reacondicionado para levar passageiros, cumprindo com os estándares de navegaçao e comunicaçoes mais altos para a operaçao na área antártica. Chega a uma velocidade de 15 nós, sendo sua velocidade cruzeiro de 13 nós. Possui uma capacidade máxima de 70 passageiros e uma autonomia de 11.245 milhas naúticas, equivalente a 42 dias. Está preparado para levarnos ao fim do mundo do jeito mais ccomfortável e seguro. Tem 5 tipos de cabines: 1) Suites: Compostas por decks superior, dormitorio, banheiro privado, sala de estar, TV, VHS, DVD, frigobar e vista exterior. 2) Cabinas A: Idem às suites, mas sem sala de estar, TV, VHS, DVD e frigobar. 3) Cabines AA: Iguáis às cabines A, mas com banheiro compartilhado. 4) Cabines B: Igual às cabines AA, mas com deck principal, em lugar de superior. 4) Cabines C: com deck inferior, dormitório e banheiro compartilhado. Nos casos AA, B e C, o banheiro compartilha-se entre duas cabines (quatro pax), com acesso interno desde as mesmas. Compartilha-se o chuveiro e W.C. Cada cabine tem seu próprio lavatório.

INSTALAÇOES
Possui 35 cabines duplas com banheiros privados ou compartilhados. Equipamento para excursoes em terra. Uma sala de Conferências com equipamento multimeia, aonde os científicos e exploradores nos encinam suas experiências na área que estamos visitando. Biblioteca. Bar e sala de estar. Barcos de desembarco para os diferentes landings que realizaremos durante a expediçao.
Serviços
 
SERVIÇOS INCLUÍDOS
Alojamento a Bordo do Barco durante a viagem.
Comidas
Excursoes em Terra
Conferências Programadas por especialistas naturalistas
Impostos e Taxas de Porto
Diário de Navegaçao detalhado
 
SERVIÇOS NAO INCLUÍDOS
Bebidas
Lavanderia
Comunicaçoes a Bordo
Vida Selvagem
Chungungo - Lontra felina
Delfín oscuro - Lagenorhynchus obscurus
Huillin - Lontra provocax
Cabecinha preta austral - Carduelis barbata
Lobo de dois pêlos - Arctocephalus australis
Rayadito - Aphrastura spinicauda
Rato dos guindales - Abrothrix llanoi
Delfín austral - Lagenorhynchus australis
Pingüin penacho amarelo - Eudyptes chrysocome
Cóndor - Vultur gryphus
Pingüin de Magalhanes - Spheniscus magellanicus
Matamico grande - Polyborus australis
Albatros de ceja preta - Thalassarche melanophrys
Gaivota cocinera - Larus dominicanus
Albatros errante - Diomedea exulansno
Remolinera pequena - Cinclodes outstaleti
Petrel gigante do sul - Macronectes giganteus
Remolinera araucana. - Cinclodes patagonicus
Cormorán pescoço preto - Phalacrocorax magellanicus
Remolinera negra. - Cinclodes antarcticus